Bio-Manguinhos produz 900 mil doses de vacina contra covid-19 por dia

Por semana s√£o produzidas entre 5 e 6 milh√Ķes de doses na Fiocruz

Bio-Manguinhos produz 900 mil doses de vacina contra covid-19 por dia

As duas linhas de produ√ß√£o da vacina contra covid-19 no Instituto de Biotecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos) j√° fabricam 900 mil doses por dia, segundo divulgou hoje (6) a Funda√ß√£o Oswaldo Cruz (Fiocruz), à qual o instituto é vinculado. Nesse ritmo de trabalho, entre 5 e 6 milh√Ķes de doses s√£o produzidas por semana na Fiocruz.

O próximo passo do escalonamento da produ√ß√£o ser√° a entrada do segundo turno de trabalho, que elevar√° o número de doses fabricadas para 1,2 milh√£o por dia. Apesar do ritmo ganhar velocidade, todas as doses precisam passar por um rígido controle de qualidade, que dura cerca de 20 dias. No momento, 11 milh√Ķes de doses est√£o nesse processo, que é necess√°rio para garantir que as vacinas s√£o seguras e eficazes.

Entre a primeira entrega da vacina Oxford/AstraZeneca produzida em Bio-Manguinhos, em 17 de mar√ßo, e a última sexta-feira (2/4), 4,1 milh√Ķes de doses j√° foram liberadas pelo instituto ao Programa Nacional de Imuniza√ß√Ķes (PNI). Outras 4 milh√Ķes de doses da vacina foram importadas prontas, em janeiro e fevereiro, da Índia, onde foram produzidas pelo Instituto Serum. Essas doses prontas também passaram por Bio-Manguinhos para checagens de qualidade e rotulagem em portugu√™s.

A Fiocruz atualizou ontem (5) o cronograma de entrega de vacinas ao PNI e divulgou que vai disponibilizar 18,4 milh√Ķes de doses até a semana encerrada em 1¬į de maio. Est√£o programadas as entregas de 2 milh√Ķes de doses da vacina nesta semana; mais 5 milh√Ķes, entre 12 e 17 de abril; 4,7 milh√Ķes, de 19 a 24 de abril; e 6,7 milh√Ķes, de 26 de abril a 1¬ļ de maio.

A previs√£o é que as entregas cres√ßam em volume nos próximos meses e cheguem a 21,5 milh√Ķes, em maio; 34,2 milh√Ķes, em junho; e 22 milh√Ķes, em julho.

IFA importado

Bio-Manguinhos produz a vacina devido a um acordo de encomenda tecnológica entre a Fiocruz e os desenvolvedores da vacina. O acordo prev√™ que, neste primeiro momento, a produ√ß√£o no Brasil seja feita a partir de ingrediente farmac√™utico ativo importado (IFA).

Até o momento, j√° chegaram ao país remessas de IFA suficientes para a produ√ß√£o de 35 milh√Ķes de doses, incluindo as que j√° foram entregues ou est√£o em controle de qualidade. A quantidade de IFA j√° recebida por Bio-Manguinhos também garante a produ√ß√£o até maio.

Mais tr√™s remessas do insumo est√£o previstas para chegar ao Brasil em abril, além de quatro, em maio, e uma, em junho. Segundo a Fiocruz, o recebimento do IFA importado segue normalmente, e n√£o h√° qualquer indica√ß√£o de possível atraso.

A funda√ß√£o afirma que tem monitorado de forma rigorosa o cen√°rio de crise na malha aérea e alta demanda por esses insumos no mercado internacional. Para chegar ao Brasil, o IFA tem sido transportado por voos de empresas aéreas comerciais.

"O Ministério da Saúde e empresas privadas j√° ofereceram apoio para o caso da situa√ß√£o se agravar e este apoio ser√° solicitado em caso de necessidade", diz a nota da Fiocruz, que refor√ßa que a presidente da institui√ß√£o, Nísia Trindade, e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, se encontraram nesta semana com o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, que teria confirmado o compromisso dos chineses com a entrega do IFA dentro do cronograma previsto.

IFA nacional

Paralelamente, a Fiocruz também se prepara para nacionalizar a produ√ß√£o do insumo, o que se dar√° por transfer√™ncia de tecnologia da AstraZeneca para Bio-Manguinhos. No fim deste m√™s, técnicos da Ag√™ncia Nacional de Vigil√Ęncia Sanit√°ria v√£o visitar o local de produ√ß√£o do IFA em Bio-Manguinhos, para que possa ser emitido o certificado técnico operacional da ag√™ncia reguladora, autorizando a produ√ß√£o.

As primeiras vacinas produzidas a partir de IFA nacional, no entanto, ainda devem demorar meses para chegar aos postos de vacina√ß√£o, o que só deve ocorrer no segundo semestre. Até o fim deste ano, a previs√£o é que 110 milh√Ķes de doses produzidas com IFA feito no Brasil sejam entregues ao Ministério da Saúde.

Agência Brasil