Anvisa e Butantan trocam críticas sobre suspensão de estudo da Coronavac

Nesta sexta, Barra rebateu as críticas e negou qualquer interferência do tipo. “A Anvisa n√£o deseja, n√£o quer e passa longe de qualquer tipo de politiza√ß√£o

Anvisa e Butantan trocam críticas sobre suspensão de estudo da Coronavac

Nesta sexta, Barra rebateu as críticas e negou qualquer interferência do tipo. “A Anvisa n√£o deseja, n√£o quer e passa longe de qualquer tipo de politiza√ß√£o a respeito desta quest√£o e de qualquer outra. É a mesma Anvisa que atuou na libera√ß√£o dos testes r√°pidos, é a mesma Anvisa que atuou na libera√ß√£o dos respiradores, é a mesma Anvisa que atuou nos insumos para que as pessoas fossem entubadas em UTIs. É a mesma.”

O presidente da Anvisa também defendeu o corpo técnico da agência. “Se h√° alguma raz√£o, se h√° alguma necessidade de que essas dúvidas pairem sobre a minha pessoa ou de qualquer outro diretor, que assim seja, mas n√£o sobre o corpo técnico da agência, porque o corpo técnico continua”, disse. “Os diretores passam; o corpo técnico continua. E essa decis√£o foi uma decis√£o técnica, reitero.”

Dimas Covas, por sua vez, lamentou o episódio e afirmou que a interrup√ß√£o n√£o teve efeito pr√°tico sobre a condu√ß√£o dos estudos. “Na realidade, os efeitos maiores foram os efeitos políticos decorrentes da forma como isso aconteceu e do momento em que isso aconteceu”, disse.

Dimas Covas – Foto: Aloisio Mauricio /Fotoarena/Folhapress

O diretor do Butantan negou ainda sofrer qualquer press√£o do governador Jo√£o Doria (PSDB) sobre os estudos. “O Butantan n√£o tem nenhuma press√£o política do nosso governo. Ao contr√°rio, a press√£o a que respondemos é a press√£o da urgência”, afirmou. “Nós temos a responsabilidade de fazer essa vacina, de trazer essa vacina o mais rapidamente possível, porque nós entendemos perfeitamente a gravidade do momento.”

Ambos divergiram sobre a forma como a agência comunicou o Butantan a respeito da suspens√£o. Primeiro, Covas disse ter sido informado pela imprensa. Barra rebateu e afirmou que o instituto recebeu um ofício com a decis√£o 40 minutos antes que a notícia fosse publicada no portal da Anvisa na segunda-feira à noite.

Covas, ent√£o, reconheceu que o ofício havia sido enviado 21h04 da noite de segunda. “Só que eu pergunto: quem é que vai acessar a caixa postal do estudo às 21h04 da noite? Obviamente isso só seria acessado na manh√£ do dia seguinte, n√£o existe um funcion√°rio de plant√£o para acessar essa caixa de estudo”, disse, lembrando que o estudo foi formalmente interrompido na manh√£ de ter√ßa.

Na audiência, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) criticou a decis√£o de Bolsonaro de indicar o tenente-coronel da reserva Jorge Luiz Kormann para ocupar uma vaga na diretoria da Anvisa. Ele precisar√° passar por uma sabatina no Senado para ser confirmado no posto.

O senador disse que n√£o vê condi√ß√Ķes de Kormann assumir o cargo. “O que me preocupa, em especial, s√£o as manifesta√ß√Ķes do senhor Luiz Kormann”, afirmou. “Ele fica fazendo postagem ressaltando os absurdos idiotas que aquele senhor chamado Luciano Hang [dono da Havan] fica reproduzindo por aí, em rela√ß√£o à vacina, em rela√ß√£o à pandemia do coronavírus.”

Randolfe afirmou que Kormann compartilhou mensagens de empres√°rios que atacam Doria e o Butantan. “No que depender do meu voto, e eu acho que no que depender do voto também dos demais colegas, n√£o é possível nós avalizarmos a indica√ß√£o para uma agência técnica de tanto fundamento científico, como a Anvisa, de alguém que é contra a ciência.”

Kormann é secret√°rio-executivo adjunto do Ministério da Saúde, onde atua desde maio, quando o governo passou a aumentar o número de militares em postos-chave da pasta, mesmo em cargos especializados.

A indica√ß√£o do militar, porém, chamou a aten√ß√£o de servidores da Anvisa por sua falta de forma√ß√£o em saúde ou ampla experiência na √°rea.

Recentemente, o Senado aprovou o nome de novos diretores à agência. Além de Barra, que foi confirmado como diretor-presidente, a lista reúne uma servidora de carreira da casa, um apadrinhado do bloco político centr√£o e uma médica que, nas redes sociais, tem se posicionado a favor do uso da hidroxicloroquina para tratar a Covid-19 apesar da falta de evidências científicas. Questionada pela reportagem na ocasi√£o, ela evitou comentar as publica√ß√Ķes.