PF desarticula quadrilha que comandava tráfico internacional de drogas

Justiça determina a busca e apreensão de dez aeronaves

PF desarticula quadrilha que comandava tráfico internacional de drogas

Policiais federais cumpriram nesta quinta-feira (6) 110 mandados judiciais - 38 de pris√£o e 72 de busca e apreens√£o - em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Amazonas, Maranh√£o, Par√°, Rio Grande do Sul, Paran√° e S√£o Paulo. A a√ß√£o faz parte da Opera√ß√£o Gr√£o Branco, cujo alvo é uma quadrilha respons√°vel por tr√°fico internacional de drogas.

A 1¬™ Vara da Justi√ßa Federal de C√°ceres (MT) determinou ainda a busca e apreens√£o de dez aeronaves e o sequestro de todos os bens de 103 pessoas físicas e jurídicas investigadas. O valor total de bens sequestrado est√° sendo apurado.

Como foi o início da investiga√ß√£o

As investiga√ß√Ķes tiveram início em janeiro de 2019, quando a Polícia Federal (PF) e o Grupo Especial de Fronteira – Gefron, de Mato Grosso - apreenderam 495 kg de cocaína no município de Nova Lacerda (MT). Na opera√ß√£o, foram realizados mais de dez flagrantes com apreens√£o de aproximadamente quatro toneladas de cocaína, aeronaves e veículos utilizados no transporte e a pris√£o de mais de 20 pessoas envolvidas com o crime.

"O líder da organiza√ß√£o criminosa, j√° condenado por tr√°fico de drogas, encontrava-se foragido da justi√ßa brasileira e controlava toda a logística do transporte da droga a partir de uma mans√£o em um condomínio de luxo em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, desde a saída da droga daquele país por meio de aeronaves, até o recebimento dela em pistas clandestinas no Brasil, o carregamento em carretas e a entrega em grandes centros do Brasil", disse a PF, em nota.

Em 2020, por meio de uma coopera√ß√£o internacional com a Polícia Boliviana (Cerian - Centro Regional de Intelig√™ncia Antinarcóticos), o líder foi expulso do país e entregue às autoridades brasileiras, iniciando o cumprimento da pena pelo crime. Ao mesmo tempo, seus familiares e outros integrantes da organiza√ß√£o criminosa continuaram comandando a logística de transporte da droga.

O nome do líder da organiza√ß√£o criminosa n√£o foi divulgado. O nome da Opera√ß√£o Gr√£o Branco deve-se ao transporte de gr√£os (soja, milho) de Mato Grosso para S√£o Paulo para justificar as viagens das carretas que transportavam a cocaína.